Equilíbrio Hidroeletrolítico e ácido-básico

A equação de Henderson-HasseIbalch, que é baseada no íon comum HCO3-, exibe a relação do pH arterial com o sistema HCO3-/H2 CO3. Em razão das possíveis alterações primárias da concentração plasmática do HCO3- (distúrbios metabólicos) ou do CO2 (distúrbios respiratórios), surgem os vários tipos de distúrbios ácido-básicos, que podem ser mais bem compreendidos pelo esquema das barras de pH, como passamos a demonstrar. Embora pareça, à primeira vista, complicado, sugerimos ao leitor acompanhar o raciocínio, pois tudo será mais simples, depois!
Comecemos observando a figura. Nela, na ordenada colocamos o bicarbonato plasmático (valor normal, 24 mEq/l). Na abscissa, a Pa CO2 (valor normal, 40 mmHg). Na interseção das linhas que partem desses valores normais, passa a barra do pH normal, 7.40. Traçamos, então, as barras que mostram os valores extremos de pH compatíveis com a vida.
Normalmente, o indivíduo hígido está posicionado na interseção das 3 barras de normalidade.
Partindo desse ponto, teremos os quatro distúrbios-padrão do desequilíbrio do metabolismo ácido-básico…

(Trecho do livro “Interpretação Clínica do Metabolismo Hidroeletrolítico e Acidobásico” disponível, via app Kindle (gratuita) para Ipad, Iphone
Android  Windows e Mac com exclusividade na Amazon Brasil.

http://www.amazon.com.br/dp/B00E818OT6

http://www.amazon.com.br/dp/B00S7EX116

One thought on “Equilíbrio Hidroeletrolítico e ácido-básico

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>